Portal do Aluno:
Lembrar Senha
Buscar Cursos:



10/06/2012
A água em 20 de Janeiro de 2045

A água em 20 de Janeiro de 2045
Prof. Chafic Jbeili - www.unicead.com.br

Hoje é sexta-feira, dia 20 de janeiro de 2045, meu aniversário de 76 anos. O dia amanheceu com céu limpo pela primeira vez em 15 anos, desde a quinta grande guerra deflagrada pela escassez de água e alimento após os cataclismos de 2016, que encobriu a atmosfera da Terra com densa nuvem de cinzas vulcânicas.

 

O sol de hoje me fez lembrar os dias de outrora, quando frequentava o clube com aquelas enormes e generosas piscinas de água limpa transbordante, enquanto crianças brincavam em uma espécie de escorregador gigante que costumávamos chamar de toboágua. Bons tempos aqueles de acesso livre a água. Tomávamos banho de chuveiro, lavávamos vasilhas em nossa própria pia, limpava o carro e até a calçada com jorrante água potável.

 

Bom lembrar-se da época quando podíamos ir até o mercado para comprar macarrão, pão e um pedacinho de bisteca. Lembro que durante o churrasco as mulheres reclamavam do cheiro de fumaça em seus cabelos e no dia seguinte estavam nos chamados “salões de beleza”, extintos pelo Governo pelo excessivo consumo e desperdício de água. Hoje é a água, e não mais a beleza, o motivo da sobrevivência humana.

 

Naquela época havia também grandes áreas fechadas chamadas “campo de futebol” onde milhares de trabalhadores pagavam ingressos caros e arriscavam suas vidas para assistirem, durante uma hora e meia a disputa por prestígio entre vinte e dois atletas milionários que bebiam e cuspiam água o tempo todo.

 

Por causa disso, todas as atividades consideradas de uso abusivo e irracional da água foram proibidas desde 2020 quando a Comissão de Controle e Combate ao Tráfico de Água racionou o seu uso e medidas de prevenção foram tomadas para coibir o consumo irracional de água.

 

Por questões de segurança o consumo por captação da água da chuva também foi proibido devido o alto nível de acidez e toxidade. Atualmente só o Governo detém autorização para construir e manter tanques de retenção e tratamento de água para irrigação das hortas federais comunitárias cuja vigilância é realizada com prioridade pela Guarda Nacional.

 

Esta semana uma servidora pública encarregada da limpeza de um desses tanques federais foi exonerada por justa causa depois de ter sido descoberta carregando, em sua bolsa, 500ml de água tratada. Agentes federais desconfiam que a mesma funcionária tenha sido responsável pelo desvio de aproximadamente 100 litros de água nos últimos dois anos e se tal acusação for confirmada ela poderá pegar prisão perpétua, caso a população não a linche antes.

 

Deputados criaram leis proibindo o comércio de torneiras e acessórios de retenção, distribuição, bombeamento e acúmulo individual de água, tais como galões, mangueiras, esguichos, caixas d’água e piscinas. Senadores mandaram fechar toda indústria ou comércio que utilizasse direta ou indiretamente a água como matéria prima.

 

Notícias recentes informam que cientistas da expedição conjunta entre o Banco Central da Água e a estatal Aquabrás descobriram farto lençol freático em solo brasileiro. Nossa atual presidenta Patrícia Abravanel anunciou o envio de tropas militares para reforçar a segurança do solo contra prováveis ataques mundiais.

 

Ontem a cotação do mililitro da água atingiu o maior valor já comercializado por qualquer outro objeto desde a existência do homem. Nem mesmo o ouro em sua época de grande importância atingiu valor tão alto quanto o da água no dia de ontem.

 

Eu mesmo já tive o privilégio de poder comprar uma garrafa de água mineral escolhendo o tipo da garrafa e a marca da fonte, mas bom mesmo era aquele tempo em que se podia ir até a cozinha, abrir uma torneira e beber um copo de água limpa e refrescante temperada com água gelada, mas isso foi há muito tempo...




Imprimir


Voltar para Artigos